Translate (tradução)

sexta-feira, março 13, 2009

ANGOLA & (a colonização de) PORTUGAL


Perguntou-me um dia desses o amigo Gociante Patissa se: "Devemos, nós angolanos, gratidão a Portugal por nos ter colonizado"?
_A resposta é NIM!
A análise e resposta desta questão, que parece simples e simultâneamente complexa, deve obedecer a 4 "olhares" diferenciados a saber:

1- Muitos países, até africanos (Etiópia e Libéria), nunca foram colonizados e estão aí. Houve na história dos povos intercâmbios culturais que permitiram valorizar e desenvolver as ciências e as civilizações. O Egipto, grande berço da civilização e do conhecimento, teve incursões de vários povos, contactos e intercâmbios com outras civilizações, porém a colonização europeia, de facto, só se deu entre finais do Sec. XVIII e XIX.

2-
No caso concreto de Angola é bom que olhemos também para os estádios de desenvolvimento do litoral, onde foi mais intensa e madrugadora a presença colonial europeia e o Leste, onde esta tardou em chegar. O litoral é, sem dúvida, mais desenvolvido do ponto de vista infraestrutural, do conhecimento científico "contemporâneo"e cultural.

3-
O desenvolvimento do território colonizado deveu-se a enormes sacrifícios dos colonizados (nativos) a quem foram impostos hábitos, língua, um novo "modus vivendi", para além de privações de vária ordem, como: acesso à terra arável, pastos, coutadas, etc., pagamento de impostos, trabalho forçado e não remunerado. guerras e ainda a mercantilização do próprio homem nativo ou escravização.

4-
Angola (actual) é produto da colonização, já que antes da presença portuguesa existiam Reinos e Estados (in)dependentes uns dos outros, dentre eles Kongo, Matamba, Kasanji, Uambo, Vye, Kuanyama, Umbe, Lubolo, etc.

Dito isso, se calhar, urja necessário fazer um outro questionamento:
* Teríamos ou não persistido e evoluído (no pensamento e na ciência) se não tivesse havido Colonização portuguesa?
_ Aqui a resposta é SIM!

Debate aberto.

Luciano Canhanga

12 comentários:

mafegos disse...

Eu gostava mais de uma pergunta generalizada.
Teríamos ou não persistido e evoluído(no pensamento e na ciência)se não tivesse havido colonização europeia?
É claro que sim,pois os europeus,apenas foram para Africa a procura de fortuna,não lhes interessava nada desenvolver e muito menos os ensinar ou deixar que tivesse iniciativa e a prova é que as potências europeias apenas desenvolviam caminhos de ferro em direcção ao mar,para poder mais rapidamente retirar as riquezas.
Portugal só começa verdadeiramente a desenvolver Angola,depois de 61 e só nos anos 70 é que começa a abertura generalizada de escolas e a universalidade do ensino para uma grande parte da população africana.Infelizmente foi pouco e tarde demais.
Um abraço Manuel Sousa.

Afrika disse...

Nenhuma colonização foi perfeita, nenhuma. Todos sabemos que os colonizadores tinham os seus interesses, mesmo hoje em dia, quando a grandes empresas internacionais de instalam em determinado pais tem os seus interesses, assim como qualquer países que se apronta a ajudar um outro, tem os seus interesses. Se actualmente, as "ajudas" só acabam por beneficiar mais um dos lados que o outro, como podemos nos esperar que a 400 ou 600 anos atrás estas fossem mais humanas?!

Perguntei se estaria Angola onde esta, hoje, como pais no mundo se a colonização não tivesse acontecido? Respondeste que não, que estaria por ventura melhor ou pior, mas ainda adiantas-te que países como Inglaterra e o Japão não foram colonizados e tem a posição no mundo que todos sabemos. Pois bem, começando pelo Japão, não foi colonizado não mas foi "visitado" pelos Portugueses, inclusive a palavra Arigato provem da palavra portuguesa Obrigado. Mas isso não interessa, o que interessa é o facto que o Japão tem uma mentalidade que mais nenhum outro pais tem, que é o de tudo pela pátria e pela honra. Os japoneses quando estão descontentes com alguma coisa a nível politico ou profissional, não deixam de ir trabalhar indo pra a rua fazer manifestações, não, eles continuam a trabalhar normalmente mas usam uma fita no braço que indica descontentamento com a situação. Quando o funcionário de uma empresa morre, a empresa toma conta da família do mesmo, já que este tomou conta da empresa durante a sua vida. Isto desde ja indica o tipo de mentalidade que eles tem perante o trabalho e a sua organização. O Japão, recebeu inclusive fundo de apoio monetários após a bomba de Hiroxima, o que ajudou a reconstruir a cidade e levantar o pais da crise, isto tudo aliado a mentalidade do "não sabemos construir o carro mais rápido do mundo mas inventamos a gasolina mais eficiente pra esse carro", levou ao Japão ter a posição que tem actualmente no mundo.
Quanto a Inglaterra, bem essa deve muito ao facto de ter criado fama (vivo cá e sei que não são nada por ai alem)e ter sabido manter as suas colónias durante muito mais tempo que os outros colonizadores, o que levou a terem trocas comerciais que sempre favoreceu mais Inglaterra que os outros países.
Eu, acredito que as colonizações acabaram, de certa forma, por acelerar o processo de evolução dos países colonizados sim. E os que não foram colonizados, tem a posição que tem no mundo devesse a interesses económicos de certas multinacionais e/ou outros países.

Perguntas-te-me se eu acho que os Portugueses deviam algo aos Mouros? Acho sim, acho que lhes devemos a instalação de infraestruturas, estradas, aquedutos, desenvolvimento comercial, entre muitos outros. Mas tudo isto, não passa da minha opinião e como tal tem o valor que tem!

Mas acredita que muito fica (da minha parte) por dizer.

MESU MA JIKUKA disse...

Africa,
Dizes que "muito fica (DE TUA PARTE) por dizer" acerca da questão em debate. Exterioriza, porque é bom dissecarmos os assuntos que em muitos fóruns ainda se constituem tabus.

Anónimo disse...

Teria sido bem pior se tivessem sido colonizados pela Inglaterra, pela França, pela Alemanha, pela Holanda, pela Dinamarca.
A EUROPA é boa para pretos, mas todos os pretos querem vir viver para a EUROPA,os colonialistas foram maus, mas os pretos só se sentem gente no meio dos colonialistas e na terra dos colonialistas, na EUROPA existe muito racismo e ódio contra os pretos, o resto é hipocrisia, precisamos de pretos para varrerem as ruas, limparem as latrinas, mas um dia vão serem todos postos nos campos de concentração e nos fornos crematórios. EUROPA é dos BRANCOS áfrica é dos pretos.

Anónimo disse...

Desculpa meu filho, mas esta me pertence!
Sr. Anonimo/a
Quando somos sérios e cheios de boas intenções damos a cara, dizemos o nosso nome, coisa que não é capaz de fazer.
Se Angola tivesse sido colonizada por outros povos aconteceria o msmo que aconteceu aos paises e povos por eles colonizados. Ou seja, apenas mudaria o nome da Nação colonizadora.
Quanto aos negros gostarem de vir e permanecer em Portugal, é bom, muito bom mesmo, é sinal que por aqui existe gente boa que os acarinha e abraça, ao contrário do que você faz. Não esqueça que em Angola existem muitos Portugueses a fazer a sua vida, muitos Portugueses que deixaram o seu País, porque será que o fizeram?
Quanto aos campos de concentração e fornos crematórios, devo esclarecer, que Portugal nem espaço tem para um campo de concentração e os fornos crematórios são e serão opção dos vivos antes de morrer, eu propria fiz essa opção quero e desejo ser cremada.
Sabe o que pode e deve fazer?
Esclarecer-se, educar-se e aprender a viver no mundo onde apenas vejeta!
Lembro aqui também, que breve Angola estará na lista dos Paises colonizadores. Não nos podemos esquecer que Cabinda deseja ser independente! Vamos aguardar pela história.
São sabugueiro

Artur Nunes disse...

Pois os pretos angolanos são diferentes dos outros são s vizinho da África do Sul teve o que já é considerado como o maior Estadista do mundo Nelson Mandela, neste país existia uma grande e forte discriminação racial,o preto não podia sentar no banco bobranco,não podia andar no autocarro do branco,não podia frequentar a escola do branco,não podia ser tratado no hospital do branco,etc...etc...etc... passado o poder ao governo negro todos vivem no país que é seu,que lhes pretence por direito todos nasceram nessa terra, todos a construiram,e viovem em hamornia a exemplo dos EUA, os broncos por ser broncos não foram expulsos sobre ameaça de morte,como o fizeram os pretos terroristas em Angola, Pois é nem vocês têm um Nelson Mandela, a questão talvez seja essa.
Já agora alguém já reparou que o soba angolano já foi mais claro de pele !? Sabem que a sua tribo o elege e as eleições são só para enganarem os angolanos? Sabem que os matutos dessa tribo são os pretos mais ricos de África ?
Sabem que os angolanos nunca morreram à fome nem de doenças como acontece desde 1974 ?
Sabem quantos angolanos foram assassinados durante este tempo?
Sabem quantas crianças ficaram orfãs?
Sabem quando deficientes os pretos do poder fizeram aos seus iguais?
Portugal é um país pequeno !? Existem países mais pequenos na Europa mas todos eles muito desenvolvidos e ricos, Como a Inglaterra que é uma ilha mas rico e poderoso,porquê ? roubou tudo que podia roubar às suas colónias, e p contrário de um país investir nos territórios de África foi só Portugal e vocês roubaram-nos tudo, para tudo ser transformado no pior kimbo de África. Vejam a grande diferença de Angola até 1975,e o miserável país com crianças e o povo a viverem nos esgotos e para comerem só têm ratos.

Anónimo disse...

Que gratidão se nos deixaram mais burros e com uma herança triste?

Afonso Henriques disse...

Para o Mafegos,ou Manuel de Sousa.
Se não fossem os portugueses tu não existias, porque parece seres mestiço, ou seja não és preto nem és branco, és assim, assim.
Dizes que os europeus só foram para África á procura de riqueza, será que os navegadores portugueses antes do conhecimento deste continente miserável, sabiam que existia alguma coisa?
E que estás tu a fazer em Portugal e não estás na tua terra !? Não estarás tu atrás dessa riqueza? Porque não estás em Angola, para ajudar a contruír tudo o que os teus patrícios ou os teus iguais, ou a tua família destruíram?
Até o teu nome é de branco, de português! És superior !? Tens Banga- Ninito!?
Se não tivessem sido os portugueses, hoje ainda andavam de galho em galho pelas árvores e com zumbo a fazer de roupas.
Quando o governo mandou construír os bairros sociais em Luanda como o bairro da Cazenga, que se destinava aos pretos, estes recusaram abandora as suas cubatas, o bairro esteve desabitado ano e meio, até que foi decidido para não ser degradado ser destribuído a brancos com escassos rendimentos, o mesmo aconteceu com o bairro Capita na Terra Nova.
Existiam brancos pobres em Angola? Sim, e muitos que viviam do suor do seu trabalho.
Estudem a verdadeira história sobre os portugueses em África.

Anónimo disse...

...Eu também tinha a ideia de que a Etiópia não tinha sido colonizada. O mesmo não é dizer a Eritreia, onde os Italianos estiveram no sec XIX.
Depois do teu email fui à Wikipedia e para te dizer verdade, é possível fazer-se a dupla leitura: colonizada não colonizada. E a confusão aumenta, quando referindo-se à Eritreia quando incluia a Etiópia actual refere a colonização no sec XIX e princípios do XX por parte da Itália.

Fonte: Wikipedia:

"O país moderno da Etiópia foi criado no final do século XIX pela rápida expansão territorial promovida pelos reis de Abissínia, com o apoio militar das potências coloniais européias. Esse apoio, principalmente de Portugal, foi decisivo desde o século XVI para evitar a invasão muçulmana da região. A Inglaterra utilizou os reinos de Abissínia como fonte de mercenários contra as forças muçulmanos na região, enquanto a França construía um caminho de ferro desde sua colônia portuária no Djibouti até a capital de Abissínia, Adis Abeba, para penetrar o mercado do interior do continente. Nenhuma das potências coloniais da Europa, além da Itália, tentou colonizar o país, pois, à época, era uma das regiões mais pobres e menos atrativas para colonizar, por sua topografia de difícil acesso, que não favorecia a construção de infraestruturas modernas. A Itália, sendo um dos últimos países a entrar na era do colonialismo, ficou com o que ainda estava disponível para ser colonizado. A Itália tentou invadir a Abissínia desde a Eritréia em 1896 mas não conseguiu. No início do século XX, a Abissínia foi reconhecida como o reino independente da Etiópia e foi convidada para a Conferência de Berlim, na qual as potências coloniais decidiram a partilha da África."

A leitura da Libéria também é uma perspectiva curiosa e faz todo o sentido. Não é por acaso, que esse conflito, penso poder agora dizer colonial por parte dos Afro-americanos, teve ainda há bem poucos anos a forma trágica da guerra civil onde as partes eram pro afro-americanas e pro africanos.

Anónimo disse...

... Sobre a Etiópia ainda hoje podem ver-se muitos elementos da arquitectura italiana em todas as cidades etíopes. A Itália colonizou a Etiópia.

E sobre a Libéria retirei este pequeno apontamento do Google:

"Em 1821 a American Colonization Society conseguiu adquirir uma parcela de terra perto da área do Cabo Mesurado, onde se fixariam os primeiros colonos negros oriundos dos Estados Unidos. Em 1824 a colónia recebeu o nome de Libéria (do latim, "terra livre").

O estabelecimento dos colonos americanos no território não se fez pacificamente, tendo sido contestado pelas populações negras autóctones, que foram excluídas da cidadania até 1904."

Logo, alguém foi colonizado. Do mesmo modo (ou pior) que os angolanos (que ainda o não eram).

Abraço

MESU MA JIKUKA disse...

Ainda sobre os comentários...

A Libéria antes da chegada de filhos de ex-escravos e escravos alforriados na América era um território habitado e com gente autóctone que discordaram da presença de estranhos. Estamos de acordo.

Porém, os recém-chegados trouxeram uma bandeira, um hino, uma constituição e fundaram uma nação, naquele espaço a que designaram Libéria. A Libéria enquanto país criado nas circunst6ancias acima enumeradas nunca foi colonizado. Desafio qualquer um. Pois ela existe a partir do momento em que é comprado território e são aí instalados os afro-americanos. Que houve resistência, isso houve. Mas quem foi o colono dos liberianos?

Quanto à Etiópia... Ela foi invadida de 1937/45 enuanto durou a aliança do eixo (Alemanha, Itália e Japão). Depois da IIGM a Italia não pôde mais lá ficar. Os historiadores não consideram este período como se fosse uma colonização efectiva. Há outros aspectos que atestam uma colonização. Portugal passou e deixou suas marcas por quase totalidade da Costa africana, na época dos "descobrimentos". Terá sido colonização? Um exemplo foi a El Mina ou Costa do ouro (Ghana). Lagos (Nigéria) tb. é um termo português...

Os EUA estão a colonizar o Iraque e o Afeganistão? Colonizaram o Vietname? O iraque colonizou o Kowait em 1990/1?

Ciências sociais valem pelo argumento, mas há que estar do lado certo.

Muito obrigado a todos e aguardo outros comentários

Anónimo disse...

Eu simplesmente tenho dizer o seguinte:

Meu pais e os meus avos nasceram em Angola. Nao os considero colonizadores porque sao filhos da terra alem de serem brancos. A minha avo deixou Angola pela primeira vez em 1975 com 76 anos nao 76 dias. Ela inclusivamente falava himbundo fluentmente.

Eu nao ponho em causa a possibilidade da independencia. Ora isso nao e nada de novo e assim o tem sido desde o principio, alias nunca existiu nenhum imperio seja o Portugues, Ingles, Grego ou Romano entre outros que sobrevivesse para sempre. Os imperios sao defenidos pela famosa piramide socio-economica; sobem, atingem o ponto mais alto e depois caiem para normalmnete nao mais regressar e se regressar concerteza voltara a cair, portanto nao havia sonhos de que Angola seria para sempre Portugal e todos os dirigentes politicos incluindo o Salazar sabiam disso pois eram pessoas cultas e nao burros, somente o ze povinho sonhava, mas tinham razaoes para tal.

Penso que o problema nao e Angola ser independente, mas sim como essa independencia e descolonizacao foi feita.
Angola podia ser autonoma eventualmente ate lutar contra Portugal mas depois da independencia manter o crescimento e a economia e convidar num novo gorverno e dar continuacao do trabalho e desenvolvimento com igualdade para ambos brancos e negros e nao uma guerra civil de 30 anos.

Essa eh a minha opiniao e concerteza se assim tivesse sido Angola hoje era muito provalvelmente uma potencia mundial e podiamos todos tanto branco como negro (todos os que la tivessem nascido obviamente) estar bem. Embora eu nao tivesse nascido em Angola essa terra teria sido o meu destino. Enfim nao foi, mas independentemente de tudo acredito que se os negros acharam que os brancos foram "maus" e a necessidade de se fazer o que se fez, acredita meu amigo os negros nao foram nada melhores. Havia desigualdede entre brancos e negros eh uma verdade, mas era assim naquela altura ate nos EUA que se gabavam de a primeira democracia e pais livre nessa altura havia descirminacao e diferenca de tratamento. Mas eu penso que com o tempo tudo isso mudaria em particular apos a independencia. Mas os maiores inimigos dos Angolanos e daqueles que lutaram para a libertacao de Angola, foram eles proprios nao os Portugueses isso e facto nao opiniao.