Translate (tradução)

sábado, agosto 25, 2007

JOGOS A DOER...



-Será que Cabo Verde trava Angola? Essa foi a pergunta que me foi colocada no dia 22 de Agosto pela Jornalista Rosa Bengui do Jornal dos Desportos para a edição do dia 23. Na íntegra o texto retirado da página on line do referido jornal.
""AO TELEFONE COM * Luciano Canhanga*

Houve na primeira fase, realizada em Benguela, equipas que definiram bem os seus objectivos, concretamente a passagem à fase seguinte, que agora decorre em Luanda. Foi o caso de Cabo Verde, que tinha vencido apenas o Marrocos e Rwanda. Assim planeado, assim feito.

Com Angola, disse-o o seu treinador, Trovoada, “não interessava gastar 'munições' para não vencer a guerra”. E, Cabo Verde fez o seu jogo, preservando os seus trunfos para aquele que seria o embate decisivo contra o Rwanda.

Já na fase seguinte, em que cada jogo é uma final, as equipas menos dotadas ou menos conceituadas tentam aplicar-se ao fundo para surpreender as grandes. Foi o que assistimos no jogo entre Cabo Verde e Nigéria.

O lema das equipas tidas como menos favoritas tem sido tentar vencer ou então vender a derrota o mais caro possível. Assim também fez a RCA, que tentou surpreender, sem efeito, a Selecção Nacional, pois, veio ao de cima a experiência e maturidade no nosso "cinco" nacional.

Voltando ao jogo da meia-final contra Cabo Verde, julgo que teremos (dia 23/07) uma partida muito disputada. Desta vez a selecção insular não terá trunfos para guardar. Aliás, vai usá-los todos no seu máximo. Então, teremos de pensar em como contornar o "atrevimento" dos cabo-verdianos e também guardar algumas energias para o jogo da final diante do Egipto ou Camarões.

De duas coisas devemos estar certos: A taça é nossa, mas os dois jogos que faltam serão a doer"".

E, dito por mim, feito pela selecção. Hoje, dia 25 de Agosto, termina o campeonato africano de Basquetebol sénior masculino. Angola defronta os Camarões que vieram discretos e sem a fama de candidatos ao título. Tal como Angola os camaroneses não tiveram derrota e o jogo será a doer. Mas retomo o que dissera: O jogo será a doer mas é certeza de que a taça, a nona, é nossa!!!

Luciano Canhanga

Fotografado pelo Mohamed Mociano Canhanga

5 comentários:

Olho Atento disse...

Voltei a falar ao telefone sobre Desporto no Jornaldosdesportos.
Eis a questão e o que respondi:
onselho de Disciplina da FAF havia atribuído vitória de 3-0 ao 1º de Agosto pela não realização da partida da 17ª jornada do Girabola entre aquela equipa e o ASA, motivada por falta de energia eléctrica no Estádio dos Coqueiros. A turma do aeroporto recorreu ao Conselho Jurisdicional do órgão reitor do nosso futebol que considerou procedente o referido recurso e a federação vai remarcar a partida para antes da realização da 23ª jornada. Questão: A decisão da FAF em realizar o jogo é correcta ou não?
--
AO TELEFONE * Luciano Canhanga

* Luciano Canhanga é jornalista

O ideal seria que, salvo naqueles casos de comprovada negligência da equipa faltosa anfitriã, as partidas fossem ganhas em campo e não na secretaria.
Quanto ao caso que envolve o ASA e o 1º de Agosto, tudo quanto sei, o motivo que ditou a não realização do jogo foi a oscilação de
energia, o que fez com que as lâmpadas não acendessem.
Conhecendo o país que temos, a energia que às vezes não temos, e atendendo que embora o ASA fosse o organizador do jogo na condição de anfitrião, julgo que a situação foi inesperada, ou se quisermos de ordem técnica, alheia à
equipa.
Portanto, é sensato que a FAF reconsidere a sua decisão em não penalizar o ASA , até porque se aconteceu com a equipa aviadora, amanhã poderá ser com próprio D'Agosto.
Ou será que as equipas que jogarem nos Coqueiros, na condição de anfitriãs, passarão a levar um gerador próprio e trocar as lâmpadas que
iluminem o estádio para evitar situações do género?
O d'Agosto tem equipa com arcaboiços para provar em campo uma possível vitória, tal qual o ASA tem equipa para mostrar que não é candidato à derrota ao longo dos 90 minutos.
Que, haja, pois, a realização do jogo, de modo a que a ponta final do nosso Girabola, que até vai bem, não seja manchada por uma decisão mal tomada pelo órgão reitor da modalidade em Angola. Vamos aos 90 minutos!

Olho Atento disse...

oltei a falar ao telefone sobre desporto nacional. Concretamente o futebol de primeira divisão. O jogo entre o ASA e Primeiro de Agosto pontuável apra a 23a jornada foi remarcado para Sexta-feira, dia 5 de Outubro de 2007. E a pergunta do jornal dos desportos foi:
O Atlético Sport Aviação, ASA, já não tem hipótese de ficar em segundo lugar depois de perder com o Benfica de Luanda. O Petro de Luanda também atirou a toalha ao tapete, como bem reconheceu o seu técnico, Bernardino Pedroto. A luta pelo título está agora reservada ao Interclube e 1º de Agosto que dependem de si e também dos outros. Questão: tendo em conta que o ASA no Girabola já não tem hipóteses de ter um lugar de acesso às Afrotaças, sexta-feira facilitará ou vai “estragar a vida” do 1º de Agosto?

AO TELEFONE COM *Luciano Canhanga*
*Luciano Canhanga, Jornalista*

Essa é uma pergunta fácil cuja resposta só pode ser respondida ou demonstrada em campo. O 1º de Agosto é, à partida, o vencedor como também o é o ASA, cujo trabalho, não pode ser desvalorizado. Senão, não teria feito o recurso de que resultou a realização do jogo, quando já se tinha atribuído três pontos ao conjunto militar.
Pelos resultados das últimas jornadas, o 1º de Agosto vem de uma vitória folgada de 4-1 frente ao Santos Futebol Clube e está ainda ao alcance da revalidação do título ao passo que o ASA vem de uma derrota de 0-2 diante do Benfica de Luanda, estando praticamente fora das chance conquistar o segundo lugar neste campeonato.
Porém, de uma coisa tenhamos certeza: se os “militares” anseiam a vitória para poderem esperar por uma escorregadela do líder, Interclube, e sonhar com o título, para os aviadores também interessa lavar a honra e galgar mais uma posição na tabela classificativa final, mostrando no campo, ao longo dos 90 minutos regulamentares, que são capazes de levar a água ao seu moinho.
Deverão lutar assim para os três pontos ou no mínimo por um empate que pode ser fatal para os “militares” que dependem de terceiros para subir ao podium.
Será um jogo de um a dois, podendo a vitória sorrir para cada um dos conjuntos, ou mesmo um empate, sem golos.

MESUMAJIKUKA disse...

JORNAL DOS DESPORTOS, DIA 7 DE NOVEMBRO 2007
O1º de Agosto e Petro de Luanda foram afastados da Taça de Angola ao perderem diante do 1º de Maio de Benguela e Benfica de Luanda, respectivamente. Estas duas últimas vão disputar no próximo dia 11 de Novembro o troféu da segunda maior prova futebolística nacional. Questão: Benfica de Luanda e 1º de Maio de Benguela, qual delas reúne melhores condições para conquistar a Taça de Angola?
AO TELEFONE COM Luciano Canhanga
*Luciano Canhanga é jornalista *

"Creio que teremos uma final muito difícil, pois que realizar-se-á no dia 11 de Novembro e será idêntico ao das meias-finais e será uma verdadeira surpresa.
Poucos foram os adepto que acreditavam que
estas duas
equipas chegassem à final da Taça de Angola, já que as pessoas apostavam no Petro e 1º de Agosto, entretanto, a sorte esteve muito mais próximo do 1º de Maio de Benguela e Benfica de Luanda.
Acredito que será um jogo equilibrado para as duas formações, embora o Benfica leva um pouco de vantagem pelo facto de jogar em casa, mas este factor também não diz muita coisa.
O 1º de Maio também tem muitos adeptos em Luanda e a partir do momento que Benguela passou a ter um representante no Girabola todos os benguelenses passaram a apoiar esta equipa.
Daí que não é só o Benfica que levará muitos adeptos às bancadas.
Por outro lado, os atletas de ambas as
equipas não devem
levar muito em conta a presença desses, pois não são estes quem jogam, mas eles é quem ficam em campo.
Agora, fazendo uma análise do ponto de vista táctico, acho que será um jogo virado para o ataque de ambos os lados; a entrega será grande. Assim, fica difícil dizer já qual das duas reúne melhores condições para ser o vencedor da Taça de Angola.
Sinceramente, é complicado e quem teve a oportunidade de assistir os jogos das meias-finais viu que as duas estão bem técnica e tacticamente. Portanto, que vença o melhor."

MESUMAJIKUKA disse...

Jornal dos desportos, 11/12/07: O atleta jamaicano Teafor Benett, ponta-de-lança, é o mais recente reforço do Petro Atlético de Luanda tendo em vista a próxima época futebolística. O atleta de 27 anos actuou a época passada no Oster da Suíça e é tido como um grande goleador. Questão: Justifica-se que o Petro de Luanda contrate novo atleta estrangeiro para a sua equipa?
AO TELEFONE COM Luciano Canhanga

“A “priori” deve-se saber quanto é que custou esta contratação. Isso nos levaria a ter informação comparativa sobre os custos da contratação local e no exterior, neste caso, a Jamaica. Por outro lado, é preciso também saber se esta contratação do jamaicano será, de facto, uma mais valia para a equipa ou se será apenas mais um jogador. Digo isso porque já tivemos cá exemplos de jogadores brasileiros em várias equipas que nem eram titulares nas suas equipas. Também sei que o Petro Atlético de Luanda é uma equipa que tem uma boa escola de formação e os reforços podem ser encontrados lá, na sua escola. Em fim, esperemos que esta contratação não seja mais uma acção apenas para gastar dinheiro. É verdade que a equipa precisa de pontas-de-lança porque pode perder o Manucho Gonçalves e deixou, de facto, um grande vazio neste sector. O facto é que fomos muito longe desta vez. Será que não havia jogadores nos países mais próximos, pois, podemos falar ainda dos custos indirectos, porque se for o caso desse jogador ir passar as férias na sua terra, teremos que pagar mais caro a sua deslocação. Terá que se ir à Europa para chegar à sua terra natal. Para além disso, temos ainda a questão da adaptação, pois, para um jamaicano é mais complicado adaptar-se ao clima e costumes angolanos.”

MESUMAJIKUKA disse...

Jornal dos desportos, 08.01.08
-O internacional angolano Pedro Manuel “Mantorras” após recuperar de uma lesão voltou em grande ao marcar o golo da sua equipa no empate de 1-1 contra o Vitória de Setúbal, numa altura em que já se falava em ser emprestado para o Manchester United ou outra do campeonato português da I divisão, embora a notícia já foi desmentida. Questão: Acredita que Mantorras ainda pode ser útil para o Benfica?

O TELEFONE COM * Luaciano Canhanga
*Luaciano Canhanga é jornalista

“O Mantorras é daqueles jogadores que constituem a mascote da qualquer equipa. É um excelente jogador que faz a equipa jogar. Podemos ver que mesmo estando ele na condição de lesionado tem estado a empurrar a equipa à vitória, pois ele pode ombrear com qualquer um jogador. Penso que algumas pessoas tiveram a oportunidade de assistir ao jogo de sábado da Liga Portuguesa de futebol entre o Benfica e o Vitória de Setúbal em que o internacional Mantorras conseguiu marcar o golo que deu possibilidades a equipa de empatar a partida por uma bola. Tudo aconteceu num espaço muito limitado de tempo e foi na primeira vez que tocou na bola e finalizou no golo. Penso que se não fosse a intervenção do Mantorras o Benfica poderia perder o jogo, pois só faltavam cerca de vinte minutos para terminar a partida muito bem disputada durante todo o tempo. O que falta ao Mantorras é mais oportunidades para jogar, conforme já declarou o técnico do clube. Ele precisa fazer mais jogos e com certeza mais golos sairão dos seus pés. Sei que o Benfica já desistiu da ideia de emprestar o Mantorras e isso é muito bom. O jogador está muito bem aí. Ele sempre fez bons jogos naquela equipa, só que tem tido muito poucas oportunidades. Nenhum jogador consegue mostrar as suas habilidades se não estiver activo, a jogar. Não é qualquer jogador que consegue fazer o que Mantorras faz em pouco tempo. Ele não está acabado e merece ficar no Benfica e jogar sempre que puder.”