Translate (tradução)

terça-feira, junho 06, 2006

VITÓRIA DOS PALANCAS ENTRE A DEFESA E O ATAQUE

Que a participação dos palancas negras no mundial de futebol da Alemanha já é uma vitória, lá isso é. Vitória dos jogadores e do treinador que tinham a obrigação de chegar apenas ao CAN, mas que grão a grão foram enchendo o papo até à Alemanha. Mais saborosa ainda a vitória porque foi conseguida diante dum papão do futebol africano, a Nigéria.

Melhor ainda porque o povo sempre acreditou, mesmo nos momentos em que tal se mostrava dificílimo e porque coroa o desempenho do país que apenas há 4 anos conseguiu uma tranquilidade efectiva. É também a vitória da nossa diplomacia que consegue ir onde os políticos às vezes batem portas sem sucesso.

Dizer, porém, que só a presença entre as 32 melhores selecções da actualidade na Alemanha é tudo, seria voar baixinho demais. Há desafios e imagem a preservar.

–Não somos os melhores da região austral do continente, a contar com os resultados saidos do CAN do Egipto? Então, é preciso jogar e ganhar, não apenas o juizo, como muitos incrédulos já atestam.

Ganhar, o que se pretende, acredito que não será tarefa fácil. Sobretudo porque temos à nossa frente equipas como o Irão que não é pera doce e que tem um campeonato mais disputado que o nosso Girabola; O México que é simplesmente uma das melhores equipas da sua zona, a América do Norte; Portugal que é somente a sétima melhor equipa de acordo a classificação da FIFA. Ultrapassar tamanhos latagões só será possível se o Mister Oliveira Gonçalves deixar de ter uma equipa pre-concebida.

Queixar-se, por exemplo, que a equipa decresce de rendimento sem Akuá em campo quando se tem Man-Torras e Tity Buengo a aquecer o banco, é dúvida permanente que não se entende.

Faltando cinco dias para o baptismo frente a Portugal e quando já não há ensaio pelo meio, resta-me olhar para os resultados conseguidos nos jogos de preparação: 5-3 frente ao misto de Celle; 0-2 diante da Argentina, 2-3 com a Turquia e 0-1 diante dos Estados Unidos. Um saldo negativo em termos de golos sofridos que me leva a dizer que entre a defesa permissiva e o ataque arejado está a nossa vitória.

Mesmo assim, e como a bola é redonda, ligo o rádio e recito o trecho musical que dita: “Angola tú és capaz”.

Por:Soberano Canhanga

3 comentários:

Anónimo disse...

Esta é a corente que precisamos e fazemos votos que continue a rolar sobre os
nossos rapazes. Positivismo acima de tudo, porque só assim triunfaremos.

Capuepue, Sílvio

ouri Pacamutondo disse...

Perder uma guerra não significa perder uma batalha. Avante camaradas venceremos.Angola (representando os PALOP) estamos juntos, "Um Kandando"

Ouri Pacamutondo

Anónimo disse...

That's a great story. Waiting for more. Withdrawl symptoms of ativan Answering machine greeting wav Hyaluronic acid supplements